QUINTA VÁRZEA DA PEDRA

Bandeira-de-Portugal-6.jpg

Dois irmãos que a vida uniu recuperaram uma velha quinta de 26 hectares na posse da sua família há quatro gerações. Os efeitos desta decisão ainda ecoam na paisagem vitivinícola da região de Óbidos, com um portfólio em crescimento de vinhos frescos,  aromáticos,  frutados, com excelente acidez e capacidade de guarda, que foram muito bem acolhidos em festivais.

Clique aqui para ver toda a nossa oferta de vinhos da Região de Lisboa.

Desde 1910 que a família Emídio produzia excelente pêra-rocha e vinho na quinta de que é proprietária, nas cercanias do Bombarral, mesmo a dois passos de Óbidos. Mas foi necessário o encontro de vontades dos irmãos Alberto e Tomás Emídio para que uma profunda requalificação dessas terras produzisse frutos, já em 2015: novas vinhas foram plantadas principalmente com Fernão Pires e Arinto, a adega foi reformada para se adequar às exigências da vinificação de qualidade, e onde antigamente se produzia vinho corrente existe agora um pequeno mas notável portfólio de brancos de elevado nível, e um tinto acabado de lançar, todos comercializados com a marca própria que a sua excelência justifica.

As vinhas influenciadas pelo mesoclima originado entre a brisa do Atlântico e a Serra de Montejunto produzem vinhos de grande frescura e mineralidade. Daí a sua natural integração na Denominação de Origem de Óbidos.

Na adega são sujeitos a uma vinificação tradicional complementada com tecnologias actuais, estagiando, de acordo com o perfil desejado, em depósitos de cimento,  cubas de inox e barricas de carvalho francês. O critério último é o da verdade do vinho, numa expressão perfeita do terroir e da denominação de origem.

O aroma intenso, a frescura, a mineralidade e acidez vincada destes vinhos associam-se num perfil muito gastronómico, encantando os apreciadores criteriosos. O trabalho exímio do enólogo Rodrigo Martins confere-lhes fortes traços identitários que os tornam únicos na região — e os vários galardões já conquistados relevam-no com assertividade.

A gama integra quatro vinhos brancos, elaborados com as duas castas dominantes na quinta: O colheita Quinta Várzea da Pedra (blend de Fernão Pires e Arinto), um Reserva com a mesma composição, e dois varietais de cada uma das castas. Quando este texto vir a luz do dia já terá sido colocado no mercado um novíssimo Tinto Reserva, blend de Syrah e Touriga Nacional.

Não obstante a sua juventude, foram acolhidos em 2017 com um impressionante conjunto de galardões nos festivais da especialidade. O Branco Reserva, o Fernão Pires e o Colheita receberam, respectivamente, dois Segundo e um Primeiro Prémio no 34º Festival do Vinho Português. O Branco Reserva foi Medalha de Ouro no Concurso de Vinhos de Lisboa.

E o Internacional Wine Challenge de 2017 compensou a estreia deste produtor com uma Medalha de Prata (Fernão Pires), um Bronze (Colheita) e uma Recomendação Honrosa (Branco Reserva).

Para os irmãos Emídio, nenhuma outra notícia podia ser mais saborosa. E para quem conhece o enorme carácter dos vinhos de Óbidos, é um privilégio assistir a esta honrosa confirmação das nossas afinidades, que a Quinta da Várzea da Pedra inteiramente merece.

Quinta Várzea da Pedra
Garrafa©NunoLima copy.jpg
Vindima©EdgarLiborio.jpg